Sustentabilidade

A L’Occitane investe em pesquisas e testa dermatologicamente todos os produtos, para garantir a segurança e eficácia com linhas certificadas como 100% naturais. O rótulo de origem controlada Appellation of Controlled Origin (AOC), por exemplo, comprova que todo o processo, desde os cuidados na colheita até o beneficiamento dos produtos e o respeito pelas tradições das comunidades locais, foi seguido sem afetar o meio ambiente. 

Há também itens que receberam o certificado da Ecocert, companhia francesa que trabalha com 50 países e estabelece os mais altos padrões de qualidade para os cosméticos fabricados com substâncias naturais. Para conceder o selo, a agência estabelece que os produtos devem seguir os seguintes parâmetros: mínimo de 95% de ingredientes naturais ou ingredientes de origem natural; e mínimo de 10% do total dos ingredientes certificados como orgânicos. As fragrâncias sintéticas ou corantes, silicones e óleos minerais não são permitidos.

 A empresa utiliza papel, papelão e madeira de florestas sustentavelmente gerenciadas e que receberam o rótulo do Forest Stewardship Council (FSC). Os princípios do FSC são baseados no cumprimento dos tratados internacionais e respeitam os direitos dos povos nativos, trabalhadores da floresta e comunidades locais. Essa preocupação também levou a marca a desenvolver o projeto Fábrica Limpa, que consiste em separar todo material que possa ser reciclado, como vidro, papel, madeira, plástico e alumínio.

Em 1989, a empresa iniciou um programa de desenvolvimento sustentável na produção de manteiga de karité em Burquina Faso, na África. E, em 2006, criou a primeira plantação orgânica perene em longa escala na Córsega, para proteger a integridade dos maquis corsos, vegetação densa e arbustiva, característica da ilha.

No mesmo ano, a empresa criou a Fundação L’Occitane, que apóia três causas: alfabetização e apoio às mulheres nos países em desenvolvimento; luta contra a cegueira e ajuda para os deficientes visuais, inclusive desde 1997 a companhia imprime rótulos das embalagens também em braile; e preservação das culturas tradicionais ameaçadas.